Item adicionado ao orçamento


INFORME PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA 01 / 17

Gostou? compartilhe!

1 – O que são poeiras?

São formadas quando um material sólido é quebrado, moído ou triturado. Quanto menor a partícula, mais tempo ela ficará suspensa no ar. As poeiras são os contaminantes mais comumente presentes em ambientes de trabalho. Constituídas por particulados sólidos, geralmente concentram-se em faixas de tamanho superiores a 1 micrômetro, e sua composição e concentração – normalmente alta – definem o risco da exposição. São originadas quando materiais na forma sólida são submetidos a processamento mecânico, como moagem, lixamento, britagem, corte, desbaste, usinagem, entre outros.


2 – O que são névoas e neblinas?

Névoas e neblinas são constituídas por particulados líquidos na forma de gotículas em suspensão na atmosfera. A diferença entre elas é que as primeiras, as névoas, são geradas por processo mecânico, como ruptura física de um líquido durante processos de

pulverização, nebulização ou borbulhamento; já as neblinas são produto da condensação na atmosfera de pequenas partículas líquidas provenientes de um líquido previamente volatilizado por processo térmico.

O aparecimento de neblinas é muito comum no início da manhã como um processo natural que ocorre em locais onde a atmosfera é bastante úmida, tais como proximidades de serras, montanhas e lagos: a água líquida evapora durante o dia quando a temperatura é mais elevada, condensando-se na atmosfera sob a forma de gotículas minúsculas durante a madrugada, quando a temperatura ambiente costuma cair significativamente. A formação de neblinas também pode ser visualizada em ambiente industrial em algumas operações como banhos químicos a quente, em peças metálicas ou plásticas, entre outras.


Conheça sobre Protmed

3 – O que são fumos?

Os fumos ocorrem quando um metal ou plástico é fundido (aquecido), vaporizado e se resfria

rapidamente, criando partículas muito finas que ficam suspensas no ar. Os fumos, tais como as poeiras, são particulados originados a partir de materiais sólidos. Consistem em sólidos metálicos ou plásticos, aquecidos até sua fusão. Através deste processamento térmico, os sólidos fundidos são volatilizados e condensados na atmosfera devido a diferenças bruscas de temperatura. Neste processo são gerados particulados finamente divididos, usualmente menores que 1 micrômetro de diâmetro médio mássico aerodinâmico.


4 – O que são gases?

Gases são substâncias que, à temperatura ambiente, estão no estado gasoso e são geralmente invisíveis.

Definem-se como gases as substâncias químicas que se apresentam no estado gasoso quando em condições normais de temperatura e pressão (CNTP), isto é, sob temperatura e pressão ambientes. São exemplos de gases: oxigênio, nitrogênio, monóxido e dióxido de carbono, óxido de etileno, argônio, hidrogênio, amônia, cloro, dióxido de enxofre, sulfeto

de hidrogênio, metano, propano, butano, óxido nitroso, ozônio, dentre muitos outros.


5 – O que são vapores?

Vapores são substâncias que evaporam de um líquido ou sólido, da mesma forma que a água transformada em vapor d’água. Geralmente são caracterizados pelos odores: você não vê um vapor, mas sente o cheiro. São exemplos de vapores: álcool etílico, metanol, acetona, ácido acético, acetato de etila, vapor de mercúrio, gasolina, diesel, benzeno, tolueno, xileno, formaldeído (formol), glutaraldeído, halotano, éteres, ciclohexano, clorofórmio, tetracloreto de carbono, disocianato de tolueno (TDI), nafta (destilados de petróleo), dentre inúmeros outros

Os filtros mecânicos não devem ser utilizados de nenhuma maneira para proteção

contra gases e vapores.


6 – Como são classificados os filtros P1, P2, P3, PFF1, PFF2 e PFF3?

De acordo com recomendações contidas no PPR (Programa de Proteção Respiratória) da

FUNDACENTRO, segue abaixo as classificações dos filtros e para quais contaminantes são recomendados:

PFF1 / P1: Poeiras e/ou Névoas (aerossóis mecanicamente gerados)

PFF2 / P2: Fumos (aerossóis termicamente gerados) e/ou Agentes Biológicos

PFF3 / P3: Particulados altamente tóxicos (LT<0,05 mg/m³) e/ou de toxidez desconhecida

PFF significa peça facial filtrante, pois o próprio respirador é um meio filtrante.

Os filtros mecânicos são testados de acordo com as normas NBR 13697 (P1, P2 e P3) e NBR 13698 (PFF1, PFF2 e PFF3) e os dois parâmetros avaliados são a perda de carga (resistência à passagem do ar) e a penetração de partículas.

Os filtros P1, P2 ou P3 são utilizados em respiradores com manutenção, e os PFF1, PFF2 e PFF3 são os respiradores sem manutenção.


7 – Para que serve um filtro mecânico?

Os filtros mecânicos são geralmente constituídos por um emaranhado de microfibras sintéticas. São tratadas eletrostaticamente e são capazes de reter apenas os

materiais particulados (poeiras, névoas e fumos) presentes no ambiente.


8 – Qual a vida útil dos filtros mecânicos?

A vida útil para filtros mecânicos é variável, dependendo de diversos fatores tais como o tipo de contaminante, sua concentração, a frequência respiratória do usuário e a conservação do produto, devendo sempre ser avaliada pelo responsável sobre a determinação do uso de EPI.


9 – Para que serve a válvula de exalação?

A válvula de exalação permite a saída do ar úmido e quente; desta maneira o ar exalado não passa através do filtro, tornando a respiração mais “leve” e o uso da máscara mais agradável, propiciando mais conforto ao usuário e maior vida útil ao filtro.


10 – Qual a diferença entre os respiradores sem manutenção com e sem válvula de exalação?

Tecnicamente a eficiência de filtragem entre os equipamentos é a mesma, porém devemos

considerar que o respirador com válvula de exalação proporciona maior conforto ao usuário, pois permite a saída do ar quente e úmido.


11 – Qual a diferença entre um respirador sem manutenção tipo concha para

um dobrável?

Respiradores sem manutenção tipo concha ou dobrável, quando são da mesma classe (por exemplo, PFF1), possuem a mesma Eficiência de Filtração. O que pode diferenciá-los é a vedação no rosto do usuário. Em geral, respiradores do tipo concha possuem um formato mais anatômico e, por isso, tendem a oferecer uma melhor vedação a uma maior variedade de rostos.


12 – Qual a diferença entre o respirador PFF2 e um com certificação N95?

Respiradores com classificação PFF2 seguem a norma brasileira (ABNT/NBR 13698:1996) e a europeia e apresentam eficiência mínima de filtração de 94%, enquanto os respiradores com a classificação N95 seguem a norma americana e apresentam mínima de filtração de 95%.

Portanto, respiradores PFF2 e N95 apresentam níveis de proteção equivalente, porém nem todos tem Certificação e, quando possuem, são conhecidas com PFF2-N95.

Conheça sobre Protmed



Gostou? compartilhe!